Brasil Eco Fashion Week – Uma semana para pensar moda e sustentabilidade

De 18 a 28 de novembro aconteceu a Brasil Eco Fashion Week em sua 4ª edição, desta vez, online, um grande encontro para regenerar moda e planeta.


A programação foi vasta e muito completa, rolou desfiles; ações de internacionalização de marcas; exposições de filmes e trabalhos artísticos. Sem poder esquecer do mercado de produtos, palestras e workshops.


Rafael Morais, diretor executivo da BEFW falou um pouco sobre de realizar um evento completamente online, desafio este imposto pela pandemia, mas que não abalou o objetivo do evento.


“Vamos testar esse modelo, e será desafiador executar digitalmente uma semana de moda sustentável com diversas áreas. Vamos manter o propósito do evento de ser acessível e oferecer a maior parte das atividades gratuitamente; e aproveitar a oportunidade de alcançar um maior público pelo Brasil.”

Aqui vai um apanhado desta semana de moda sustentável que se propôs a estimular práticas socioambientais no mercado e na moda brasileira.


Desfiles


MOVIN


Movin é uma marca carioca ousada que tem como proposta trabalhar com zero estoque e uma proximidade muito grande com o cliente para garantir uma efetividade na produção. O escopo do conceito está extremamente relacionado com uma prática de baixíssimo impacto e diminuição máxima de resíduos.


O desfile acorreu no segundo dia no terceiro blocos de apresentações com uma paleta de cores sucinta, uma silhueta ampla apesar da certa rigidez de alguns tecidos. Máscaras e bolsa tiracolo compuseram os acessórios.


COMAS + FLAVIA AMADEU


“Sinergia é a palavra que traduz as novas criações que as marcas Comas e Flavia Amadeu trazem juntas para a passarela do Brasil Eco Fashion Week 2020, juntamente com parceiros que se unem com o propósito de regenerar a cadeia produtiva da moda.” E é com essa fala poderosa que Flavia incita a consciência ambiental, tema fundador de todo evento.


A coleção apresentada também no segundo dia é fruto da convergência de um trabalho de pesquisa e difusão dos seus conhecimentos na Amazônia com a borracha e o processo de sistematização e escalação da produção.


Vem assistir o desfile da Movin e da Flávia Amadeu+Comas:



AFRORICKY



Ricky é o apelido desta moçambicana, nascida em Inhambane que desde a adolescência tinha o sonho de mudar o mercado na moda de seu país. Com uma proposta contemporânea, sustentável e de valorização da estamparia africana a marca nasceu oficialmente em 2012.


A estilista veio até o Brasil para fazer uma pesquisa de produção e matérias, e não somente, visitou negócios de moda sustentável e assim se aprofundou nas práticas ecológicas do mundo da moda. Após essa pesquisa ela desenvolveu a “Afroricky Organique”, coleção apresentada no primeiro dia de desfiles do Brazil Eco Fashion Week.


Painéis


Design Universal e Acessível na Modelagem


O mercado da moda pode ser excludente, o que é uma contradição, pois se estamos falando de negócios, o ideal é um alcance grande e diverso.


Lilian Marino (pesquisadora têxtil), Aliana Aires (pesquisadora Mercado Plus Size), Alessandra Valois (Alê Valois) e a Carolina Franco (corte Centesimal) se reuniram para ter uma conversa franca e cheia de informações sobre a cadeia produtiva da moda e como ela pode ser mais acessível e democrática.



A busca de sustentabilidade no consumo no Online de Moda


Durante os últimos meses a compra online cresceu vertiginosamente, em todos os seguimentos, mas sem dúvida alguma o mercado de roupas e acessórios ficou com uma boa fatia deste crescimento.


Tiago Corrêa do Mercado Livre expõe a abrangência deste mercado e versa sobre como nicho pode ser sustentável e ainda sim ter os seus grandes números.



Empreendedorismo e Igualdade Racial


Não dá para fazer qualquer análise de uma conjectura social sem fazer um entrelaçamento com questões raciais, ainda mais quando se fala de economia.


O empreendedorismo tem sido uma técnica de sobrevivência da população negra a muito tempo, pois se vê apartada de empregos com condições regularizadas e assim acaba por buscar alternativas criativas para o seu desenvolvimento econômico.


Com a mediação de Susana Mattos do Sebrae, Carol Barreto do Projeto Modativismo e Fernanda Gonçalvez da FabrikaAfro conversam sobre empreendedorismo com o recorte racial de uma forma clara e acessível.



Vocês participaram da BEFW? Se sim, conte aqui para nós o que achou dos nossos destaques. Se não, compartilhe conosco o que acha da proposta do evento. A programação está disponível no canal da BEFW do Youtube.

Vamos dialogar inovação e sustentabilidade, e assim ampliar a nossa percepção de mundo e conhecimentos.